Feeds:
Posts
Comments

Mudamos de endereço

O autodidata agora é “Inglês Hoje”, blog focado no aprendizado autodidata de inglês em tempo real.
Link: http://ingleshoje.blogspot.com/

Quanto tempo leva para ficar bom em algo?

É comum pararmos para pensar quanto tempo vai demorar para ficar bom em algo, ainda mais quando ainda sequer começamos e queremos avaliar se realmente vale a pena o esforço, a jornada. Como podemos saber?

Se você perguntar a alguém que tenha passado pelo processo, ele provavelmente dirá que em alguns meses ou anos você consegue algum resultado, mas que isso depende do seu esforço pessoal. Será que é a melhor forma de calcular?


Claro que não. Não faz sentido dar essa resposta em anos, você não passa o ano todo fazendo a mesma coisa, nem o dia todo, nem nada do tipo.

Se você despende 4 horas por dia numa atividade terá um resultado muito diferente de quem despende 8 horas por dia e, mais ainda, de quem despende 2 horas por semana. Logo, a medida certa para saber quanto tempo leva para aprender algo deve ser dada em horas e não em meses ou anos.

Nos estudos de K. Anders Ericsson, foi demonstrado que pessoas que tem alto desempenho em diversas áreas( desde esportes até música) tiveram um mínimo de 10.000 horas de treino intensivo em sua área, até alcançarem um nível de reconhecimento internacional.

Mas isso é para alcançar um nível altíssimo, que poucos conseguem chegar.  Para alcançar um nível razoável, onde se pode realizar algo relativamente bem, o tempo despendido deve ser bem menor.

Mas então, como eu calculo quanto tempo vou demorar para ficar bom?

Aí depende de três fatores: seu conhecimento prévio,do quão bom você quer ficar e do método que vai utilizar.

Se você já souber algo sobre o que quer aprender, vai demorar menos tempo para alcançar um bom nível. Se tiver conhecimento sobre algo semelhante ao que quer aprender, como saber tocar Baixo e querer aprender a tocar Guitarra, vai aprender de maneira muito mais rápida que alguém que não sabe instrumento algum.

Ficar bom como o Jimmi Hendrix demora muito mais tempo do que aprender a tocar meia dúzia de músicas populares, exige muito mais horas de treino.

Aprender a lutar boxe frequentando um ginásio com instrutores e equipamento adequados vai ser muito mais rápido do que aprender assistindo videos K7 antigos e sem ter ninguém para praticar.

Levando tudo isso em consideração, podemos deduzir que,  possuindo um conhecimento prévio relacionado ao que quer aprender e dispondo das ferramentas adequadas,  e tentando chegar a um nível baixo, seu aprendizado será bem rápido.

O grande problema é que não há como medir quanto tempo leva para ser medíocre em algo, ou para ser “mais ou menos”, talvez 10 horas, talvez 500, não se sabe. O  melhor jeito é tentar ser um expert, o melhor, e acompanhar seu próprio desenvolvimento e, quando estiver satisfeito com seu próprio nível, é só parar de se esforçar tanto.


O Inglês é mais que um idioma para se destacar numa ou noutra área, é uma necessidade.

O mundo fala Inglês, a informação está quase que totalmente em Inglês.

Saber Inglês é ter acesso a um conteúdo incrivelmente vasto que infelizmente não existe em Português.

Como disse no primeiro post, é possível aprender Inglês gastando pouco, sem fazer curso e sem sair do país. Não só Inglês, como também qualquer outro idioma.

Como se aprende Inglês?

Existe apenas uma maneira de aprender um idioma: tendo interesse e estando em contato.  Quanto maiores forem seu interesse e seu contato com o idioma, mais vai aprender.

O interesse parte totalmente de você, são seus motivos para aprender Inglês.

Já o contato você pode ter morando num país onde se fala inglês, numa aula de inglês ou através de ferramentas. Esta última maneira de ter contato é a mais típica dos autodidatas.

É importante que, durante o contato, você tente compreender o máximo  possível. Para isso, use e abuse de dicionários, explicações e quaisquer outros artifícios que dispor.

Claro que não é toda vez que é possível compreender tudo, na verdade, você não compreende tudo na maioria das vezes, mas isso é assunto para outro post.

Listo abaixo algumas ferramentas interessantes para ter contato com a língua inglesa:

Disposição

É o principal,o essencial ; sem disposição você não aprende nem faz nada. Você precisa ter vontade de aprender, se motivar. Estar sempre disposto a correr atrás, estudar, buscar fontes de estudo.

Busque!

Internet

Atualmente a internet é a maior fonte de informações, boa parte em Inglês. Aventure-se pelos sites em Inglês tentando absorver o máximo possível.

Recomendo os seguintes sites:

Antimoon

BBC

Yahoo Kids

Livros

Imagine uma fonte de informação barata, reciclável, confiável e disponível em abundância. Chama-se “livro”.

Livros em inglês são mais fáceis de se encontrar que você imagina, estão disponíveis em bibliotecas, sebos, livrarias e, principalmente, em sites de vendas on line e – pasmem -  são mais baratos que livros em português.

Dicionário(  Essencial)

Basicamente você precisa de dois dicionários de inglês: um para ficar com você o tempo todo, na mala/bolsa;  e um no computador, para consultas mais rápidas.

O de bolso pode ser daqueles mini-dicionários, inglês-português/ português-inglês. O ideal é que seja pequeno, leve e prático, assim pode tê-lo à disposição em qualquer situação.

O de computador  pode ser um programa qualquer, ou mesmo algum site de confiança. O importante é oferecer consultas rápidas e confiáveis, além de dispor de muitas palavras.

Mp3 player

Uma das ferramentas mais poderosas na aprendizagem contemporânea, pena que pouca gente conhece e reconhece a potencialidade do Mp3player.

A utilização é simples: baixe podcasts, aulas, audios de filmes, qualquer coisa em Inglês e ouça no ônibus, enquanto faz sua caminhada ou mesmo enquanto lava a louça.

Parece simplista, mas não é. O tempo de contato com o idioma é drasticamente aumentado, consequentemente seu conhecimento também.

Outros materiais

Games, Tv, jornais, sei la. Qualquer coisa que te ponha em contato com o idioma é válido.

Primeiro Post!

Bem-vindo ao meu blog, que dei o nome de “O Autodidata”. Nele pretendo colocar uma série de dicas, matérias, sites e outras coisas relacionadas ao autodidatismo, à aprendizagem.

Mas o que é ser autodidata?

Segundo a Wikipedia: “Autodidata é a pessoa que tem a capacidade de aprender algo sem ter um professor ou mestre lhe ensinando ou ministrando aulas. O próprio indivíduo, com seu esforço particular, intui, busca e pesquisa o material necessário para sua aprendizagem”.

Além dessa definição, o autodidata traz também uma ideia de autossuficiência. A ideia de poder aprender coisas novas quando bem entender e sem depender de pessoas ou instituições para isso.

A ajuda de outras pessoas não é totalmente dispensada, mas também não é o principal, não é o filé da aprendizagem. A ajuda de outra pessoa ocupa um lugar distinto para o autodidata, que pretendo explorar melhor em um post futuro.

Por que ser autodidata?

1-      Para ser independente.

Sendo autodidata você não depende da boa vontade de outras pessoas ou do funcionamento de uma instituição de ensino.  Pode aprender no seu ritmo, indo mais rápido ou mais devagar, de acordo com sua vontade, sem precisar acompanhar uma turma.

2-      O prazer é muito maior.

Quando você desenvolve algo por iniciativa própria, o resultado é muito mais satisfatório que quando você faz com supervisão. A aprendizagem faz parte desse pacote. Acredite em mim, aprender a falar um novo idioma ou tocar um instrumento musical sozinho traz um prazer muito maior do que se tivesse sido assistido.

3-      O conhecimento acumulado é muito maior.

Um bom autodidata tem várias fontes de conhecimento e passa boa parte de seu tempo se dedicando a aprender. O resultado é que acaba aprendendo mais do que se estivesse sob alguma tutoria.

4-      O custo é muito menor.

Buscando novas fontes de conhecimento, o autodidata acaba por escolher por aquelas que tem melhor custo/benefício. Isso significa que você pode aprender o que quiser gastando um valor muito menor do que as outras pessoas que utilizam métodos tradicionais e, com muito mais qualidade.

Quer um exemplo? Com algumas ferramentas básicas, como a internet, você pode aprender Inglês praticamente de graça.

5-      Sua visão de mundo é ampliada.

Quando você aprende algo utilizando a maneira do autodidata, você aprende muito mais do que pretendia. Aprende a buscar informação, a comparar materiais, a aproveitar melhor seu tempo.  Trata-se de uma maneira completamente diferente de encarar a aprendizagem em si.

Follow

Get every new post delivered to your Inbox.